Novidades

Otoplastia: como a plástica na orelha transforma vidas
Categoria II

Otoplastia: como a plástica na orelha transforma vidas

O nome não é tão conhecido, mas otoplastia nada mais é do que a cirurgia plástica nas orelhas. O mais comum é a correção das famosas “orelhas de abano”, o nome popular para a proeminência nas orelhas que causam muito desconforto e afetam a autoestima. 

Mas não só nesses casos a otoplastia é indicada. Vamos conferir nesse artigo o que é e quando fazer a cirurgia, além dos cuidados e passo a passo dos preparativos. E mais do que isso: como essa correção plástica pode ser o diferencial na vida de uma pessoa. 

Siga a leitura para saber mais e tomar a sua decisão de forma mais consciente. 

Quando a otoplastia é indicada? 

Problemas em geral nas orelhas sempre resultam em muitos olhares indesejados e afetam profundamente a autoestima da pessoa. Não são somente orelhas proeminentes, mas também inclui assimetria, macrotia (orelhas maiores que o esperado), má formação congênita, ausência de orelhas e reparação de traumas. 

Quanto mais cedo a intervenção, menos a pessoa sofre com as implicações sociais. Especialmente crianças que, infelizmente, estão sujeitas a bullying desde muito cedo nas escolas. 

A otoplastia se torna um meio de devolução da boa qualidade de vida, através de uma autoimagem satisfatória. 

Portanto, a cirurgia reparadora é indicada tanto para ajustes estéticos quanto correção de problemas funcionais. É sempre importante entender o quanto o paciente se sente desconfortável. 

Como é o procedimento? 

Realizada em hospitais, a cirurgia é relativamente curta: dura, em média, uma hora. É feita com anestesia local, mas o paciente deve estar sedado. 

Em crianças, a anestesia costuma ser geral. Antes, porém, é bom identificar o melhor momento para a realização, considerando o desenvolvimento completo das orelhas. Normalmente pode ser feita após os 7 anos.

A incisão é feita na parte de trás da orelha, evitando que a intervenção fique visível. Nesse momento, é retirado excesso de pele e, em alguns casos, pode ser necessário a retirada também da cartilagem. 

Os pontos geralmente são internos e absorvidos pelo organismo. 

Pós-cirurgia 

De forma geral, é uma cirurgia sem complicações, e o paciente fica internado apenas algumas poucas horas. Os riscos são muito baixos, mas, como todo procedimento cirúrgico, é preciso cuidado e atenção. Especialmente na escolha do cirurgião, que deve apresentar as credenciais e experiências exigidas. 

O pós-operatório não costuma ser doloroso, devido à prescrição de analgésicos. Os curativos incluem uma faixa de proteção em toda a cabeça, que deve ser mantida por dois dias pelo menos. Depois disso, basta retirar e lavar normalmente. Em casos de orelhas de abano, é solicitado o uso de uma faixa compressiva por um mês.  

Uma nova vida 

Logo após a retirada do curativo, já é possível ver mudanças. Mas o resultado definitivo ocorre por volta de três meses. E então pacientes relatam como a otoplastia foi transformadora nas suas vidas ao lhes devolver a confiança e a autoestima. A intervenção cirúrgica age não apenas no nível estético, mas social também, ao solucionar os problemas emocionais decorrentes.  

A escolha pela otoplastia é, acima de tudo, uma forma de transformar vidas. Converse com seu médico sobre seu incomodo e desejo de correção. Uma avaliação clínica é o primeiro passo. Procure um profissional sério e competente para iniciar esse processo. 

Siga-nos nas redes sociais para ter mais esclarecimentos sobre cirurgia plástica.

VOLTAR

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.